Controlar o sistema de abastecimento de água por meio da simulação do processo de distribuição. Essa é a finalidade da modelagem hidráulica, um programa utilizado pela Águas de Timon, constituído de base de dados sobre a estrutura de rede e características operacionais. Por meio dele, a concessionária projeta e entende o comportamento da distribuição de água em um horizonte de 30 anos, sendo possível identificar as intervenções necessárias com antecedência.

Todo o sistema de água, formado por captações, estações, poços profundos, reservatórios, estações elevatórias, redes e domicílios, está no banco de dados da Águas de Timon. A partir do monitoramento, a concessionária simula comportamentos hidráulicos para identificar possíveis necessidades de melhorias. O programa é um importante meio de combate às perdas na distribuição, além de ser peça-chave no planejamento para expansão do sistema e da eficiência energética.

De acordo com o gerente de distribuição da Águas de Timon, Cláudio Guilherme, a ideia da modelagem hidráulica é deixar o sistema de abastecimento de água mais produtivo. “Com o programa, conseguimos ser mais assertivos porque ele aumenta o nível de detalhamento, visto que temos informações da pressão exata em cada trecho da rede, evitando rompimentos e desperdícios”, declara.

A modelagem hidráulica também é parte fundamental para regularização do abastecimento. Com essa tecnologia, a concessionária consegue simular e projetar os efeitos reais que cada obra pode causar no sistema, auxiliando, assim, na tomada de decisão operacional. “Quando um empreendimento é construído, nós realizamos a simulação do aumento de consumo para descobrir se o sistema vai suportar as novas ligações. Isso evita a sobrecarga da rede, o desabastecimento e possíveis vazamentos”, exemplifica Cláudio Guilherme.